Cotidiano

A vida revela detalhes
Que no aço corroem
O tempo,o mesmo de autrora
Esvoaça ao vento e dói


A certeza vazia
O desejo indesejado
O caco que corta o pé
O marco alcançado que ria


Frivolidades que sangram jornais
Ardem os olhos
Suspendem a paz


Pano de fundo gasto
Que derrete e enche as costas
Tempo inocente e louco
Que a crueldade do homem aposta


O eco do poder mudo
Que corrompe as bandeiras
Esperando suar lucros
Com o sangue importado nas veias


Tudo isso é só vento
Que o tempo renova
Humanidade chora
E finge que goza.
®IatamyraRocha

" Que o chão se abra no céu
     Que o vento sopre o novo
     Que a humanidade caminhe para frente
     Sem tirar mais sangue do povo."

    Iatamyra Rocha Freire Fernandes de Oliveira
 

Comentários

Daniella Caruso disse…
Que linda poesia de uma paz e inspiração diante do caos que se instala todo dia. Bjo.
Iatamyra disse…
Obrigada poeta..Pelas palavras e pelo sentimento em comum...Bjs..

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres poetas

Poemas: Fênix e Versos metafisicos