Casinha branca



Um dia claro na memória
Toalhas de rendas e cheiros de jasmim
Um céu amarelado,na janela da história
Lânguidos olhares tiram o pó em mim.

Sons de crianças com rostos de horizonte
Mel de lembranças com cara de domingo
Na saudade,rios claros sob minha ponte
Versos em meu peito,como um sol surgindo.


Uma casinha branca,como música de fundo
Guardam sorrisos em meus pedaços
Tempo que cai em mim como luvas
Marcando delicadamente os meus passos.


Somos feitos de tecidos das lembranças
Nossos caminhos,são estampas à surgir
Nossa roupagem é costurada com fios de esperança
E na memória,há sempre um amor à florir.
®IatamyraRocha

 Na Pele/Blog Prisma










Comentários

NunoG disse…
uma pintura perfeita...
imagino todos os traços e cores...

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres poetas

Poemas: Fênix e Versos metafisicos

A República