Equilíbrios


Pular ondas
amarelinhas
sementes de pinhas
na boca de um conde
é fonte que não é rinha
é ponte entre montes
fecunda e marinha.

Pular ondas
temporizadas
é ato falho no mato das caladas
é livre poema sem culpa sem vão
letras de músicas faladas
risco nas veias da contramão
lavandas sempre pausadas.

Pular ondas
tradicionalmente
canta profundo eternamente
celebra a vida de pontos enraizados
é verso lavado na areia da mente
ceia que sente e consome seus dados
ornados de amor simplesmente.

Pular ondas
monossilábicas
só ouvindo música metálica
sentindo pulos da natureza
nuvem coesa em arábica
infinita mesa dançando pureza
semente clareza metalinguística.

Pular ondas
ritmadas
só deixando onda ir ondulada
cachos sabem suas pontas gris
passas águas salgadas
sem ordem e gritos vis
libertas palavras.
- Iatamyra Rocha 

"Cuidado com suas palavras: elas se transformam em ação.
Cuidado com suas ações: elas se transformam em habitos.
 Cuidado com seus atos: eles moldam seu caráter.
Cuidado com seu caráter: ele controla seu destino."
- Paulo Coelho

 

Comentários

Boa tarde Tatamyra, Estive visitando o seus blog e achei muito bom. Maravilhos é este seu poema, lindo. Vou continuar por ai, bisbilhotando. Abrs
Iatamyra Rocha disse…
Obrigada Amigo pela visita, seja sempre bem vindo ao Efêmero, um feliz 2015 repleto de poesia !!! Bjs

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres poetas

Lumes

A República