Tempos

Não se percebe o tempo passar
Corre por entre os sonhos embriagadamente
Como se desfazendo em laços presentes
Passando como um código de conduta de Bertrand
Alheio a certezas imploradas...Exploradas
Aliando e afastando,com um tic e tac de um velho relógio
Que pendurado no tempo sofre oscilações físicas
Sem perder sua contagem do lógico
Não se percebe quando ele chega e te abraça
Trazendo nesse abraço de moinho
Todas as suas certezas em marcas em volta do seu olhar
Como se dentro dos teus olhares
Ele estava ali o tempo todo a te esperar.
®IatamyraRocha
Texto escrito e publicado por mim Iatamyra Rocha no ebook Nuances Poéticos, visualização e download aqui no blog Efêmero.








Comentários

Bergilde Croce disse…
O tempo não pára!E feliz de quem consegue compreender o que isso significa.
Abraços,
Bergilde

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres poetas

Poemas: Fênix e Versos metafisicos

Lumes