Silêncios

Amo o silêncio
E seu sussurro tremule
A melodia do vento
O cansaço extenue.


O som da poesia
No seu passo secreto
Que me arranha a elegia
E impõe seu decreto.


O silêncio me despe
Rasgando as entranhas
Corrói-me e aquece
E no seu mar me banha.


Mistura seu hálito
Na minha boca sedenta
Tange-me a neblina
E no ar me sustenta.


Leva-me pra longe
Em brumas indecentes
Traduzindo meu peito
Em amores reluzentes.


Arde-me por dentro
E reflete por fora
O silêncio me usa
E seu eco me devora.
®IatamyraRocha


Pequena prosa [ Reminiscências]/Prisma


Transparências/Palavras ao vento



Comentários

O silêncio é um devorador de tempos e teu poema é muito bom.

beijos, boa semana.

Carmen.
Iatamyra Rocha disse…
Obrigada Carmen, tuas palavras são calmarias para minha inquietude de viver..Me incentiva e me faz aprender e crescer...Bjs
Bergilde Croce disse…
Silêncios podem fazer mais efeito que mil palavras,principalmente se sentidos com o coração.
O vídeo é belíssimo!

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres poetas

Lumes

A República