Solfejos

Imagem:Tela "O Violoncelista" de Roberto Ploeg


 Escala
teu dom
pulse
o tom.

Erga
beba
teu
liquido.

Cálice
teu
sagrado
é ritmo.

Desnude
a pele
poro a poro
que se revele.


Contorne
preencha
todo seu
esboço
é ciência.

Êxtase
puro
azul
escuro.

Infinito
asa
feito
de barro
sem muro.

Una
fragmente
universe
mu-si-cal-men-te.

Seja
centro
e construa
seu próprio
movimento.

Rimas
arranjos
arcanjos
sinas.

Mel
cordel
céu
ímãs.

Poesia
cante
tântricos
dias.

Dilua
metades
de tuas
luas.

Sem
pressa
ritos
e promessas.

A
natureza
te reza
e é tua.
-Iatamyra Rocha

"Milhares de pessoas cultivam a música;
poucas porém têm a revelação dessa grande arte."
- Ludwig Beethoven

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres poetas

Poemas: Fênix e Versos metafisicos

Lumes