Sobre buscas

A boca pede
a língua aquosa
deseja
gulosa
do espinho
a rosa.

Os olhos
erguem pontes
as palavras
sobem montes.

A odisseia
busca o elo
especial
das especiarias
que sobem 
o litoral.

Mar a dentro
ar sem vento
noite e dia
todo o tempo.

arrepia
arredia
vida e melodia
sempre poesia.

E de novo a boca
sedenta
aguenta
os versos
atenta.

E tenta o caminho
a descoberta
do ninho
de aves despertas.
- Iatamyra Rocha 

"Infinitamente belo, insuportavelmente efêmero."
- Rubem Alves

 

Comentários

Suzana Martins disse…
Um verso beija a saudade do caminho que ficou para trás!!

Os teus versos abraçaram a minha alma de uma maneira espetacular. Não sei explicar!

Beijos
Iatamyra Rocha disse…
Duas Suzanas e a poesia que sempre proporciona
esses encontros mágicos,os versos são asas a compor voos e estes participam do mesmo prazer de voar, a conectividade vai além da tecnologia e pulsa naturalmente no peito.Obrigada pela visita. bjs
-Iatamyra Rocha
Iatamyra Rocha disse…
Obrigada Carmen Silvia Presotto, por esses encontros de poesia.Bjs

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres poetas

Poemas: Fênix e Versos metafisicos

A República