Arestas





Acho que rasguei todos os véus
Flertei com as impossibilidades
Andei com a indiferença
Fiz amor com o acaso
Acalentei minhas neuras
Sangrei minhas palavras
Acordei minha realidade
Desfiz meus aços
Quebrei todas as taças
E agora brindo com a minha boca
E engulo o desejo que me arrebata
E arde a verdade nua e quente
Que me consome
O tempo implacável
É indecente
Quando me come.
- Iatamyra Rocha

"'A vida é um sopro.'"
- Oscar Niemeyer




Comentários

Convite,

Participe de minha COLUNA: "BIOGRAFIAS DE FILÓSOFOS, ESCRITORES E POETAS" do Jornal da Cidade e Online e o blog "ESCRITORES E POETAS".
Ao aceitar , envie sua autobiografia, sites que participa, foto e algumas poesias, texto livre.

E-mails:
mariarabelo44@uol.com.br
sopoesias@jornaldacidadeonline.com.br

Obrigada!

Maria Catherine Rabello
Iatamyra Rocha disse…
Olá Catherine, vou mandar mais alguns escritos sim querida em breve viu ? Bjs e obrigada pela visita.
Iatamyra querida!

Um beijo grande e junto desejo de um Feliz Natal e um 2013 com muito amor, poesia e luz.

Que consigamos estar mais próximas e sempre junto a mais versos no mundo.

Beijos.

Carmen Silvia Presotto - Vidráguas!
Iatamyra Rocha disse…
Olá Carmen, obrigada por tua presença e teu carinho aqui e em todos os espaços em que nossos versos se encontram, um Natal e um 2013 repleto de alegrias para você poetisa e tua família Vidráguas ! E sim, estaremos compartilhando poesia e firmando laços de amizade ! Bjs poéticos

Iatamyra Rocha

Postagens mais visitadas deste blog

Mulheres poetas

Poemas: Fênix e Versos metafisicos

A República